All for Joomla The Word of Web Design

Calendário de Eventos

Search
Pesquisar
1ª Mostra de Arte e Tecnologia: MAT - Uma experiência a(e)fetiva na cidade
De Quinta-feira, 08 Novembro 2018
Até Sábado, 10 Novembro 2018
Visualizações : 58

O desenvolvimento da arquitetura e urbanismo em grande parte das cidades brasileiras, que prioriza a lógica do fluxo casa-trabalho, fortalece a utilização dos municípios como espaços de passagem e não de vivência. Pensando na possibilidade de transformar as ruas de Maringá em lugares de trocas e aprendizado, realiza-se, nos próximos dias 8, 9 e 10, a 1ª Mostra de Arte e Tecnologia: MAT - Uma experiência a(e)fetiva na cidade. Contemplado pelo Prêmio Aniceto Matti, da Prefeitura Municipal de Maringá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Semuc), o evento acontecerá gratuitamente na fachada do Teatro Reviver e na sede da Coletiva (Rua Padre Vieira, 443).

Com a concepção da mostra, os organizadores Diogo Correa da Silva (produtor cultural); Max Miranda (fotógrafo e filmmaker) e Natalia Matos Vieira (comunicóloga em multimeios e estudante de live-electronics e projeção) propõem um diálogo que discuta, explore e ressignifique a afetividade e vivência dos maringaenses com as ruas, praças e locais públicos do município, em sintonia diária com a tecnologia.

E se podemos utilizar a tecnologia para administrar uma cidade com mais rapidez, eficácia e transparência, por que não utilizar essas mesmas tecnologias para repensar e/ou ocupar essa cidade? Por que não experimentar e reinventar esses espaços, trazendo novas modalidades artísticas para o público e artistas maringaenses? Por que não criar espaços de consumo gratuitos de arte e entretenimento, além dos shoppings, bares e casas de show?

Para isso, convidados de renome nacional e internacional da área audiovisual, e com distintos trabalhos urbanos que unem arte e tecnologia, participarão da mostra: João Meirelles (BA), Jovem Palerosi (SP), Roberta Carvalho (PA), Leandro Vigas – VJ Vigas (SC) e Tiago Lucena (PR). Serão realizadas duas intervenções urbanas, video mapping (ou mapeamento de vídeo), na fachada do Teatro Reviver, e um painel sobre mercado de arte e tecnologia, duas performances audiovisuais e dois workshops na Coletiva (programação abaixo). Além da criação de uma exposição online com duração de um ano.